Organize, escreva e proteja o seu trabalho

Flickr credit: Typing by Mchgst

Autor: Adrian Sgarbi. Tempo estimado de leitura: 2'03''.

Ligar o computador e desde logo começar a escrever parece ser uma boa ideia, mas não é. Antes de começar a escrever um pesquisador deve se certificar de que dispõe do mínimo necessário para desenvolver o seu trabalho e evitar tropeços.

*   *   * 

Qual o mínimo para começar a escrever? Tenha um bom processador de texto, um plano de organização e um sistema de backup.

Um processador de texto deve atender a 3 características básicas: deve ser estável, adaptável e permitir que o texto seja exportado para distintos formatos.

Uso Nisus Writer Pro1 faz anos e pouco me lembro das vezes que tive problemas. E quando os tive, o sistema de cópia de segurança do Nisus funcionou perfeitamente. Além disso, Nisus se adapta ao estilo do escritor. Eu, por exemplo, gosto de minha tela praticamente sem ícones visíveis deixando todos os comandos ativos no teclado (formatação, pé de página, comentários etc.). Sem distrações. Para completar, Nisus exporta o texto para word, pdf, rich text, plain text e ePub, dentre outros formatos. Isto é importante porque nenhum pesquisador vive isolado.

Aliás, um bom pesquisador inclui, em sua rotina de trabalho, uma fase em que o seu texto é apenas um rascunho e deseja submetê-lo a críticas antes de levar à publicação. Um outro dia tratarei deste tema na série rotinas de trabalho.

Agora, o plano de organização. Algumas pessoas deixam a tela do computador repleta de pastas. E em casos graves, também fotos, artigos, notas e assim vai. E quando não há mais espaço no escritório do computador colocam tudo isso em qualquer lugar. Eu já vi isso um milhão de vezes. O problema não é apenas achar o material dias, semanas, ou anos depois, mas recuperar o material perdido em momentos de pane.

Solução?

Recomendo que você mantenha em seu computador os seus projetos em um único lugar chamado “projetos”. Eu tenho em minha pasta “projetos” subpastas com o ano em que iniciei o projeto, o seu número e um código de identificação. Assim, se estou escrevendo um artigo tudo que está relacionado a ele estará na pasta A2013.1, onde “A” refere-se a “artigo”, 2013 ao ano, e 1 é o "número provisório" que informa que é o primeiro projeto de artigo do ano. Quando trabalho simultaneamente em mais de um artigo, o número atribuído é sequencial, ou seja, A2013.2, A2013.3, A2013.4.

Finalmente, publicado o texto, substitua o "número provisório" pelo número indicativo de seus trabalhos concluídos. Portanto, supondo que você tenha terminado o seu 10º artigo, a sua identificação final será A10–2013, onde: “A” informa que se trata de um artigo; o número “10” que é o 10º artigo que você escreveu em sua vida; e “2013” significa que você o terminou em 2013.

Para tornar mais completa a classificação, use “L” para livro, “C” para capítulo de livro, “P” para prefácio e “B” para blind review.

Disponha também de lista relacionando os trabalhos finalizados aos seus títulos definitivos. Inclusive, acrescente, na mesma lista, comentários e anotações com ideias para novos artigos ressaltando aspectos ainda não abordados.

Backup. Nenhum computador é à prova de falhas. E no trabalho, um problema qualquer no computador pode resultar em sérios prejuízos.

Lembro-me de quando estava escrevendo a minha tese de doutorado. Por um problema em minha máquina perdi muitas páginas. Aprendi a minha lição. Backup! Isso é tão importante que já existe o seu dia internacional: 31 de março.

Em outra postagem tratarei das “3 leis” do bom backup. Agora apenas gostaria de recomendar minimamente um sistema de cópia automática: time capsule.2


  1. Disponível apenas para MAC.
  2. Para MAC e Windows.