Você escreve como o Yoda fala

Flickr credit: Yoda it is by Robin Stock

Autor: Adrian Sgarbi. Tempo estimado de leitura: 3',18''

Lembro-me de certa vez quando recebi as primeiras observações de um rascunho que enviei ao meu leitor de controle. Começava mais ou menos assim: "- Você escreve como o Yoda fala". Auch!

*   *   *

Todo pesquisador deve ter um leitor de controle. Alguém que leia o seu trabalho e faça observações sobre ele. Mas você sabe o que fazer para ser um bom leitor de controle?

Em primeiro lugar, um leitor de controle é alguém especializado. Alguém que possui a mesma expertise que você ou, ao menos, conheça a sua área de trabalho. Porque o objetivo de ter um leitor de controle é trocar ideias prematuras e testar argumentos em fase de rascunho. Por isso que, em geral, um bom leitor de controle está ao seu lado em sua turma de mestrado ou doutorado.

Em segundo lugar, que tenha tempo ou, ao menos, considere que deve separar tempo para dedicar-se a pensar o seu trabalho. Assim, um bom leitor de controle é alguém organizado e que inclui o seu texto na rotina dele.

Em terceiro lugar, que não fique em elogios e censuras. Censurar e elogiar são procedimentos sentimentais que não têm nenhuma relação com a crítica. Criticar é ressaltar aspectos da argumentação do trabalho em atenção aos objetivos estabelecidos e abordagem eleita. Não busque a aprovação de seu leitor de controle e menos ainda seja defensivo ao ler ou ao escutar o que ele tem a dizer.[1] Tente compreender o seu ponto de vista e se for necessário melhore os argumentos que estão no seu texto. O objetivo de ter um leitor de controle é escutar de alguém uma opinião franca sobre seus insights iniciais.

Em quarto lugar, um bom leitor de controle sabe que a última versão de seu trabalho é a versão que importa. Portanto, o foco é no conteúdo e não em correções gramaticais[2]. Assim, não confunda um leitor de controle com um revisor de texto profissional. Você ainda terá que entregar o seu texto para uma revisão. É o que recomendo para que você tenha um texto mais limpo.

Em quinto lugar, um leitor de controle deve incentivá-lo e ajudá-lo em momentos de bloqueio na escrita. Algumas vezes o que você precisa é apenas de uma boa conversa. Uma tese não é uma corrida de 100 metros; uma tese é uma maratona. Lembre-se disso. O seu leitor de controle deve ser consciente desse aspecto e ajudá-lo a se "desligar" de sua tese quando necessário.

Em sexto lugar, um leitor de controle também deve ser exigente com você. Ele deve buscar ajudá-lo a manter os prazos porque ele é um interessado em suas próximas páginas e no seu êxito. Portanto, compartilhe com o seu leitor de controle o seu plano geral da tese e o tempo de escrita imaginado para cada parte. Pergunte-lhe qual a opinião que tem a respeito e se pensa que é um plano viável.

Observe que você agora tem dois "leitores": o seu leitor de controle e o seu orientador. Em alguns casos eles podem ser a mesma pessoa, embora eu considere mais proveitoso separá-los. Além disso, lembre-se de reservar tempo hábil para uma correção gramatical profissional. Todo pesquisador deve ter um revisor.

Caso você seja afortunado e encontre um leitor de controle com essas qualidades, uma coisa eu posso dizer a você: "O seu texto bom será!".

[1]: Peça apenas que esclareça as observações que você não compreendeu. 

[2]: Exceto se o parágrafo for ininteligível