Relatórios. Arrrgh!

Flickr credit: Pen by NathanRuttley

Autor: Adrian Sgarbi. Tempo estimado de leitura: 1',54''

Confesso. Odeio escrever relatórios. Mas você conhece alguém em sua sã consciência que gosta de escrever relatórios?

*   *   * 

Tento agora colocar um pouco de oxigênio no meu cérebro. Acabo de ler umas 90 páginas de blá blá blá com gráficos e tudo. Tive vontade de pegar a caneta que estava perto de mim e furar os meus olhos. Claro que eu não furei. Tá maluco? No primeiro impulso rumo à cegueira atirei a caneta longe. Calma.

Mas deixe-me continuar um pouco mais. Tenho para mim que deve haver no inferno algum lugar como o de Sísifo. Mas em vez de carregar uma pedra para o topo da montanha, o sujeito está lá; escrevendo um relatório. E a cada parágrafo que termina, ele é apagado segundos depois. Pode imaginar? Por toda a eternidade escrevendo o mesmo parágrafo do maldito relatório? Bem, vou parar de pensar nisso.

Sim, vou ignorar também o que você acabou de dizer. É claro que a melhor dica de todas é não ter que escrever relatórios. Mas uma das tarefas de todo pesquisador é escrever relatórios. Portanto, ao menos para mim, não ter que escrevê-los está no mundo do impossível.

Então vamos à lista.

Primeiro. Leia as regras do relatório. Pode parecer loucura dizer isso. Erga as mãos aquele que já começou a escrever um relatório sem ler todo o documento! A minha mão está erguida.

Segundo. Não, não mate o seu companheiro de trabalho que atrasa em enviar as informações de que você precisa para completar o relatório. Respire. Respire outra vez. Controle a coisa ruim que cresceu dentro de você. Simplesmente mande para ele a parte que lhe diz respeito e diga que se não entregar até determinado dia, hora, minuto e segundo, vai sem a parte que lhe toca. E arquive esse e-mail.

Terceiro. Guarde a papelada toda. Faça cópias com um scanner e arquive. Pior do que escrever relatório é ter que buscar informações incompletas quando se está escrevendo um relatório.

Quarto. Não deixe para última hora. Eu sei que o trabalho de pesquisador é um teste de destreza. Manejamos um milhão de atividades ao mesmo tempo. Mas há algumas que podem dar mais dor de cabeça do que outras. Comece a escrever o relatório aos poucos. Faça notas. Arquive em um lugar próprio do seu computador.

Quinto. Backup. Tenha um sistema de segurança para os seus dados. Isso serve para tudo o que você fizer, mas no caso de relatórios você poderá estar perdendo colaborações de outra pessoa. E ouvir de alguém (que aliás não faz cópia de nada) que você deveria ter feito backup

Sexto. Beba uma cerveja depois que você terminar o relatório. Você mereceu.

Bem, volto para o meu relatório agora. Onde estava aquela caneta mesmo?